Zipaquirá: bate-e-volta desde Bogotá

      Nenhum comentário em Zipaquirá: bate-e-volta desde Bogotá
Centro de Zipaquirá
Cerca de 50 km ao norte de Bogotá, está Zipaquirá, uma pequena e tranquila cidade que proporciona um bate-e-volta confortável, mas sem grandes atrações, salvo se você não conhece uma Catedral de Sal ( Wieliczka , a de Cracóvia, na Polônia é bonita também) e tem crenças religiosas, gosta de pagar promessas ou  é curioso…
Centro de Zipaquerá
A cidadezinha é simpática, com um centrinho bonito, em que se pode visitar, ao redor da Plaza de los Comuneros, a Catedral Diocesana ( 1916 ) , a Casa Episcopal ( construção do século 18 ) e o Palácio Municipal, um prédio com influência gótica.
Interior da Catedral de Sal : cores que mudam continuamente
Há muitos turistas – como nós – que chegam em automóveis, contratados nos próprios hoteis. Por USD 120, um motorista leva os passageiros a Zipaquirá e à Catedral de Sal, espera-os inclusive o tempo que necessitam para  fazer as visitas e almoçar, e os traz de volta ao hotel. Pode-se ir também de trem ou de ônibus – ônibus de linha ou de turismo.
Encantei-me com esta imagem no percurso da Catedral de Sal
O ponto alto deste passeio é a Catedral de Sal, um dos maiores templos subterrâneos do mundo, com 158 metros de profundidade. Tem capacidade para receber três mil pessoas e é considerado Monumento Nacional.
Decorações nos arredores da Catedral
Podem ser percorridos, em ritmo próprio, enormes corredores – um tanto lúgubres – até chegar-se ao Altar Principal. Muitas imagens – todas construídas com sal e bem iluminadas – estão distribuídas pelo caminho. Três partes compõem a Catedral: a Via Crucis, a Rampa de Descida e a Nave Central.
Via Crucis na Catedral
Essa Mina de Sal esteve em funcionamento  entre os anos 1801 e 1992. Quando deixou de ser explorada, após o  término da mineração, foi transformada em Catedral. A simbologia , como convém para que se transforme numa grande atração, está muito bem apresentada.
Interior da Catedral
Já dentro da mina, percorre-se um corredor – que eu jamais percorreria numa sexta-feira 13! – contornado por paredões de sal, com pouca luminosidade, enquanto se ouvem cantos gregorianos. Cenário pronto para que gênero de filme?
Churrasco no almoço
Após a visita à Catedral de Sal, que pode ser feita de forma independente ou com guias, fizemos uma rápida visita ao Museu do Sal que procura mostrar a história do sal e sua importância econômica. Já era, então, meio dia. Pedimos para almoçar em restaurante local que servisse comida tradicional. Acima, o que encontramos…..e rejeitamos.
Nosso almoço
Escolhemos o cardápio da casa, porque arroz, ovos fritos, banana e abacate são sempre bem-vindos. O almoço todo foi acompanhado de música ao vivo…andina, naturalmente. O estilo desse restaurante segue o modelito do famoso Andrés Carne de Res, muito conhecido na Colômbia.
.
Música Andina
Para quem fica – como nós ficamos – 9 dias em Bogotá, os dois tours de um dia inteiro que fizemos, pareceu-me uma boa escolha. Estavam perto da capital, podiam ser feitos de carro e não eram cansativos. Fomos a Zipaquirá e a uma fazenda de café – onde tomei o melhor café da minha vida. O nosso transporte foi feito, em Bogotá,  por Marcela, uma moça competente,  agradável e com um bom carro : marcelagaray61@gmail.com. Gracias, Marcela.
Mesas do restaurante, identificadas com as bandeiras dos países

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *