Huelva: motivos para retorno

      Nenhum comentário em Huelva: motivos para retorno
Ruas centrais de Huelva : todas exclusiva para pedestres

Situada no Sul da Espanha, integrada na Comunidade Autônoma de Andaluzia, com cerca de 150 mil habitantes, Huelva é uma cidade muito agradável – daquelas que a gente conhece e logo diz: eu moraria aqui! Fundada pelos fenícios, grande porto dos romanos, foi quase totalmente destruída por um grande terremoto, ocorrido em 1755. Hoje é uma bonita cidade com um grande porto comercial.
Precisa-se estar atento para ver os detalhes das portas e das janelas…

Ouvi de moradores que Huelva oferece  um clima agradável durante todo o ano, com temperatura média de 18 graus. Perguntei sobre a facilidade/dificuldade em sair da cidade – eu ainda um pouco traumatizada com a nossa chegada – disseram-me que, em menos de uma hora, chega-se aos aeroportos internacionais de Faro, Sevilha e, em um pouco mais de hora, chega-se ao aeroporto de Madrid. Hummmm…interessante lugar para morar!
Detalhe da Catedral 
A cidade oferece visitas a lugares agradáveis e bonitos, como a Praça das Monjas ( freiras ); a Igreja de São Pedro; o convento de Santa Maria de Gracia, das Ir. Agustinas; a Catedral de Nossa Senhora de la Merced; a Casa Colón e o Palácio do Congresso; o Bairro Rainha Vitória; a Igreja da Milagrosa; a Igreja da Concepção; o Grande Teatro; a Prefeitura, o Museu Provincial; a Praça de Touros e os Molhes da Cia. Rio Tinto.
Igreja de São Pedro

Várias dessas atrações de Huelva ficam próximas umas das outras. Em um dia de caminhada, fomos à Prefeitura, ao Convento Nossa da Graça, à praça das Monjas, à igreja da Concepção, à Igreja de São Pedro e à Zona Arqueológica que estão ambas muito próximas. Fomos, ainda, à Catedral e à Praça de Touros. Cansa-se um pouco…mas sobrevive-se bem.

Detalhe da Praça de Touros

Para quem gosta de comer bem ou de comprar algo diferente ou inusitado, Huelva é a cidade certa. A oferta de restaurantes, bares, cafeterias é grande e diversa. Diz -se que “tapear y comer en Huelva tiene la categoria de arte“. Acredito que essa arte vem da qualidade da matéria prima. Ir a um mercado é festa para todos os sentidos. Visite, por exemplo, o Mercado del Carmen – pela manhã.
Eu pedi um simples sorvete….
Para compras, principalmente nestes dias de calor intenso, a cidade pode ser reconhecida mesmo como um Centro Comercial a Ceu Aberto – aberto mas não tanto porque porque têm as ruas uma cobertura que as protege do sol e diminui o calor. São muitos quarteirões de um comércio diversificado e, em geral,  de bom gosto: roupas, bolsas , sapatos, cerâmicas, armarinhos, peças exclusivas em antiquários e galerias de arte, livros, lojas especializadas em roupas para casamento, batizado,primeira comunhão e muito mais. Com juízo e sorte, não comprei nada!
Longa rua coberta – Centro Comercial a Ceu Aberto
Como se isso tudo não bastasse, Huelva tem um dos maiores patrimônios naturais, pois um terço de sua área de superfície está de fato e por lei protegida. Possui grandes parques naturais, como o Parque Natural da Serra de Aracena e o Espaço Natural de Doñana. Tem , ainda, 120 km de praia, sendo 80 km de praias sem urbanização. Infelizmente meu roteiro não incluiu essa parte extramuros do município.
Arquitetura admirável até para leigos…como eu!
Há muito mais o que ver, como um grandioso teatro, desses que só estamos acostumados a ver em cidades grandes; luminárias sobre esculturas belíssimas; rios e rias onde canoas tradicionais do século XIX oferecem passeios a praias mais distantes e museus que recordam a partida de Colombo para o Mundo Novo.
Grande Teatro de Helva
Provavelmente, grande parte das pessoas-leitoras da minha geração leu e emocionou-se com a narração lírica de Juan Ramón Jiménez Mantecón, denominada Platero y  Yo. Pois este admirável poeta espanhol, ganhador do Prêmio Nobel de Literatura em 1956, nasceu em Huelva, no ano de 1881.  Ele  assim  descrevia sua cidade natal: Huelva lejana y rosa – referindo-se ao singular crepúsculo rosado da região. 
Detalhe de uma luminária da Praça das Monjas
Isolda, minha amiga, e eu ficamos hospedadas no Hotel Eurostars Tartessos, reservado através do Booking.com. Bem localizado, excelente custo-benefício, é um hotel que posso indicar sem receio de errar. Retornamos a Madrid em um Alvia, trem que fez, diretamente, os 620 km entre Huelva e Madrid, em 3h50min. Trago comigo o desejo de retornar – como sempre – a toda a Andaluzia. E a saudade que sinto …
“Traigo dentro de mi corazón,
como en un cofre que no se puede cerrar de tan lleno,
todos los sitios en que he estado,
Todos los puertos a los que he arribado,
todos los paisajes que he visto a través de las ventanas o portillas,
o de cubiertas , soñando,
y todo esto, que es tanto, es poco para lo que quiero.”
Fernando Pessoa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *