Alfama: imperdível passeio em Lisboa

      Nenhum comentário em Alfama: imperdível passeio em Lisboa
Vista do Tejo
Um dos bairros mais tradicionais e pitorescos de Lisboa, é  Alfama,  com seu jeito de medina e com seus varais cheios de roupa. Esse velho bairro de pescadores está constituído por labirintos de ruazinhas estreitas, que partem do estuário do Tejo e chegam ao pé do Castelo de São Jorge – lugar para perder-se sem, entretanto, perder nada do que nos é mostrado e oferecido.
Fique atento às calçadas…
Uma pessoa distraída como eu, que cai com facilidade,  precisa ficar atenta e esperta enquanto recorre Alfama, com suas subidas e descidas e suas ruas escorregadias. Como escreveu alguém ( desculpe não lembro quem!): as pedras das ruas foram sendo polidas pela passagem dos romanos que iam ao teatro, dos mouros, que iam às termas e dos cruzados, em suas peregrinações. 


Habilidade para descer e subir….muito!
Por aqui, não é só a arquitetura – bonita e informativa – que me distrai e me faz ter medo de cair. Gosto também de ler e ver a denominações de espaços da cidade, como o Campo das Cebolas, a Rua da Saudade, a Rua do Limoeiro, a Travessa da Espera, a Rua dos Remédios, as Escadinhas de São Tomé, o Beco do Maldonado…
No caminho do Castelo….
Alfama, como nenhum outro lugar, pode dar-nos a noção de como era a Lisboa no passado, seja pela arquitetura, pelo traçado das ruas, pelos arcos e pelas escadas, pelas varandas, portas e janelas e pelos hábitos do povo, que conversam e comentam, algumas vezes cuidadosamente baixinho, que nos faz pensar em mexericos, histórias de parentes, de vizinhos ou de conhecidos apenas.

Subida para o Castelo de São Jorge

Caminhe sem pressa. Escute o som das conversas enquanto as roupas são penduradas nos varais e os fados que são entoados nostalgicamente por algumas mulheres. Sinta o cheiro das sardinhas que são assadas numa grelha, na rua mesmo. Veja a arte nas ruas, em paredes, muros e portas. Observe os meninos jogando futebol e cedendo lugar à passagem de turistas que descem do ônibus 737 e do bonde 28 ( o Elétrico). Procure mesmo caminhar sem pressa, muito atento e com olhos bem abertos. Há muito o que ver!

Arte na rua

Mesmo sem traçar Alfama, pode-se ver, de diferentes lugares de Lisboa, as fortificações do Castelo de São Jorge. Diz-se que suas pedras já viram visigodos do século V, mouros do século IX, cristãos do século XII, realeza dos séculos XIV e XVI e condenados de todas as épocas. Encantaram-me as muralhas fortificadas, sombreadas com ciprestes e pinheiros, e também as vistas da cidade e do rio Tejo.

Hospedei-me aqui


O Hotel Convento do Salvador fica a uns 7 minutos do Castelo de São Jorge, da Catedral da Sé e do Panteão Nacional. Situado num antigo convento, tem apartamentos com vistas panorâmicas da cidade ou do Tejo. O Elétrico 28 passa quase em frente ao hotel. É um três estrelas que vale em especial pela história e pela localização – privilegiada forma de conhecer Alfama.

” …Ouço falar onde na rua
Estão parados a falar…
Falem, falem: a fala é sua!
Não sabem que a conversa é nua
Porque a estou a escutar…”

Fernando Pessoa

Amanhecer no Tejo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *