Kosovo, Turismo Histórico.

      1 comentário em Kosovo, Turismo Histórico.
Pristina – Kosovo
A República (Parlamentarista) de Kosovo tem reconhecimento limitado porque alguns países , como a Sérvia, de quem se declarou, unilateralmente, independente em 2008. Não sei se o Brasil já o reconheceu, mas se entra em Kosovo sem visto. Sua capital é Pristina, uma cidade limpa, organizada, com um povo bem gentil.
Música e instrumento típico da região
Kosovo localiza-se na Península Balcânica, no sudeste da Europa, na região da antiga Jugoslávia. Já fez parte dos impérios Romano, Búlgaro, Sérvio e Otomano. No século XX , entretanto, passou pelo Reino da Sérvia, Império Italiano e Jugoslávia. Seu território formou-se com parte da Albânia, parte da Macedônia e parte de Montenegro –  imaginem os conflitos gerados ao longo do tempo.
Madre Teresa de Calcutá
Faz, atualmente,  fronteira com Albânia, Sérvia, Montenegro e Macedônia. O país abriga ao redor de dois  milhões de pessoas, a maioria de origem albanesa e uma minoria sérvia, além de outras etnias. Os principais grupos religiosos são muçulmanos, ortodoxos sérvios e católicos.   A moeda utilizada no país é o Euro.

Importante avenida de Pristina

Foi, em Kosovo, uma das melhores aulas vivas de história que eu recebi na Península Balcânica. Quem não lembra das suas lutas mais recentes, em 2006 e 2008 ? Quem nunca ouviu falar em Slobodan Milosevic? Sua história, entretanto, vem de séculos antes. Em 1383, por exemplo, os turcos venceram a Batalha de Kosovo quando teve início o domínio otomano por 500 anos.

Atravessando parte da Albânia para entrar en Kosovo

Para chegar a Pristina, podem-se usar usadas linhas regulares de ônibus que partem da Albânia, de Montenegro e da Macedônia. Existe uma linha de trem de Pristina para Skpje. Pristina, a mais nova capital europeia, apesar de não ser uma cidade pequena, ainda tem um ar interiorano.  Abriga  cerca de quinhentos mil habitantes.

Pristina

A Capital não é ainda um centro de atrações, mas está no ponto que me encantou conhecê-la: poucos turistas, um povo gentil, agradável que me parece saber a importância de tornar-se um polo turístico também. Oferece , ainda,  algumas áreas muito interessantes, como a Área do Bazaar, onde estão Mesquitas e museus.

Muito verde e muitas flores em Pristina
Visitei Zagreb e Lubljana há 15 e há 10 anos. Visitei-as novamente agora. Como acontece em cidades que estão lutando para reconstruir-se e atualizar-se, é bem interesse  observar a diferenças que os anos fazem – e nem precisa ser muito tempo.        Visitar Pristina logo, logo, e retornar daqui a alguns anos, poderá  ser uma experiência única ao ver o resultado do trabalho de como um povo decidido a efetuar marcantes  alterações.
Pristina
Pela exiguidade do tempo – só estivemos neste país durante dois dias  –  não conseguimos visitar duas atrações de Kosovo, que estão nos seus arredores a 15 km : o Mosteiro Visoki Decani e o Mosteiro de Gracanica, que foi concluído em 1321, pelo rei sérvio Milutin. Certamente, com essa durabilidade,  quem voltar a Kosovo vai encontrá-lo no mesmo lugar…..
Esta senhora me pareceu visita oficial ….
Reafirmo que o conhecimento histórico que Kosovo aporta, justifica – e muito – uma visita ao país. Posso, entretanto, acrescentar outro dado: as cafeterias, as comidinhas e as tortas doces são deliciosas. Esqueça, portanto, o item dieta. Comprinhas diferenciadas podem ser feitas no Bazar Turco – mas evite fazê-las pelas razões que já apontei aqui, no Correndomundo…ou optem por Miami.
” Não sou ninguém, o meu trabalho é nada
Neste enorme rolar da vida cheia,
Vivo uma vida que nem é regrada
Nem é destrambelhada e alheia.”
Fernando Pessoa

One thought on “Kosovo, Turismo Histórico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *