Lago di Garda: como… por quê…

      Nenhum comentário em Lago di Garda: como… por quê…

                                                   

                                                                        Comidas do lago

Estive, no Lago di Garda, seis vezes, uma vez cheguei de carro e cinco vezes, de trem. De carro é interessante porque se faz um recorrido bonito e diferente,  incluindo belos  passeios por montanhas. É bem diversa a paisagem  de que se faz pelo interior do lago, indo de barco, embora os cenários também sejam belíssimos.

                                                 Parco Giardino Sigurtà – Tulipas em março
De trem, gastando ao redor de 1h30min, já cheguei  ao Lago  vindo desde Milano – porque desembarcara do Brasil, no Aeroporto de Malpensa, e viera de ônibus até a Estação Central de trens. Outra vez cheguei desde Veneza Mestre, em viagem de pouco mais de uma hora. De Verona, fui outras vezes, gastando  menos de 30 minutos. 

Milano

De trem, uma boa escolha é descer em Desenzano di Garda e daí alcançar a cidade que se escolheu para permanecer e para onde se pode ir de barco, ônibus ou táxi. De táxi, lembro de haver pago 30 euros até Sirmione, minha cidade escolhida para permanecer.

                                                                     Giardino Sigurtà

Há passeios fantásticos na região que favorecem interesses diversos, como práticas esportivas, águas termais, sítios históricos e compras.  Se for na primavera, é imperdivel uma visita ao Parco Giardino Sigurtá, no Valeggio Sul Mincio, na Província de Verona, onde serão recebidos por  um milhão de tulipas, num cenário de sonhos, com a diversificação de outras flores.

                                                                Tulipas em Sigurtà

Se tiverem tempo, usando o funicular, visitem o Monte Baldo ( 2228 metros de altura ), localizado em Malcesine – de onde poderão ver paisagens espetaculares; se gostarem de História, não deixem de ir a Saló,  famosa por ter sido a capital da República Social Italiana de Mussolini, durante um ano e meio, quando a Segunda Guerra Mundial se aproximava do fim. Se o interesse maior forem os esportes aquáticos, reserve tempo para Riva del Garda.

                                                                       Verona em dezembro 

Fora da alta temporada, entenda-se verão, o preço dos hoteis, que são muitos e, no geral de boa qualidade, não se diferencia do praticado nos municípios a que o lago pertence: Verona, Trento e Brescia. Se for para turistar mesmo, procure as hospedagens próximas dos portos para, facilmente, pegar um barco e ir a muitos outros lugares. Recomendação básica: reserve hotel antecipadamente.

                                                                      Chegada em Gardone

Há bons e charmosos restaurantes, com excelente gastronomia italiana  – e muito vinho, é óbvio – localizados na beira do Lago, em todas as cidades. Aconselhável experimentar os sorvetes locais…divinos. E não esqueça de experimentar também o limoncello local.

                                                                       Orvieto

Quando planejo uma viagem para a Itália, minha tendência é incluir  Lago di Garda, ao menos seis cidades da Costa Amalfitana,  Cinque Terre, Napoli e seus arredores, Orvieto,  Tarquinia – joia etrusca – Siena, San Giminiano e Volterra e….tantas outras. Não sei se retornarei a elas. Importa, entretanto, que as visitei tantas vezes que as tenho bastante nítidas na minha memória. Por favor, não deixem viagens para um indefinido depois… 

                                                                          Sigurtà

  “Se eu sentir sono
E quiser dormir,
Naquele abandono
Que é o não sentir,

Quero que aconteça
Quando eu estiver
Pousando a cabeça,
Não num chão qualquer,

Mas onde sob ramos
Uma árvore faz
A sombra em que bebamos
A sombra da paz.”
Fernando Pessoa

                                                           Vesúvio – Napoli

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *