2017: Relatos Inconclusos

      Nenhum comentário em 2017: Relatos Inconclusos
Paris


Para realmente completar,  no correndomundo,  os relatos de 2017, preciso ao menos nomear algumas viagens lindas que me faltou ou disponibilidade ou vontade de sobre elas escrever. Serão mais fotos do que texto. Neste difícil mês de dezembro, faltam-me ânimo e encantamento.

Paris
Começo pelo recorrido que minha amiga Isolda, meu neto Pedro e eu fizemos, durante 10 dias, por Paris, algumas cidades da Bélgica e Amsterdan.
Paris
Exige de Pedro um dia inteiro – um único dia – para traçar Paris comigo. Ele havia encontrado lá uma amiga brasileira e dado a ela total prioridade no tempo dele. Caminhamos muito. Fomos do Louvre ao Arco do Triunfo, percorrendo , por vezes, ruas adjacentes.
Bruxelas
De Paris , fomos a Bruxelas, Brugges, Antuérpia e Namur.  De Bruxelas, fizemos um bate-e-volta a Amsterdam. Novamente de Bruxelas,voando pela TAP, retornamos a Madrid.
Amsterdam
A capital da Holanda é uma bela  cidade – vale a visita ainda que seja um bate-e-volta com o objetivo de  fazer um passeio de barco e caminhar por seus parques belíssimos. Já estive, entretanto, vários dias lá em outras viagens.  Gostaria, no entanto, de  retornar quando as tulipas estão floridas.
Amsterdam
Nada escrevi sobre alguns passeios na Espanha, em lugares que eu amo ver e rever e ver…A esses lugares, em cada temporada espanhola,  costumo ir ao menos duas vezes. Além de Madrid, refiro-me a Granada, Barcelona, Segóvia, Alicante, Sevilha e Córdoba.
Granada
A  novidade da vez, em Granada, ficou por conta do magnífico espetáculo de flamengo, no bairro São Miguel, nas Cuevas de Sacromonte. Para chegar até as Cuevas, faz-se um trajeto em que se pode ter uma estupenda visão de Alhambra iluminada. Inesquecível.
Cuevas de Sacromonte
Como ir à Espanha e não ir a Barcelona ver Gaudí e  Miró? Como ir a Barcelona e não comer em La Boqueria ou passear em Las Ramblas? Imprescindível uma visita a essa cidade.
Gaudí
Qualquer viagem a Espanha sem  ao menos uma espiada em Toledo e Segóvia vai-me parecer incompleta. Meu filho, ainda adolescente,  uma vez me disse que era emocionante a paixão com que eu mostrava algumas cidades – garanto-lhes que  essas duas estão entre elas.
Aqueduto de Segóvia
Sobre Córdoba fiz uma postagem especificamente referente à Mesquita/Catedral. Desta vez , nada postei sobre Sevilha. Essas duas cidades, no entanto, estão no meu roteiro anual, ainda que por dois dias ou um bate-e-volta. Sinto saudades delas ….e vou vê-las.
Mosaicos de Sevilha
O mesmo trem que vai a Córdoba, vai também a Sevilha. De Madrid a Córdoba, mais ou menos uma hora de viagem; de Córboda a Sevilha, igual tempo. Já estive em Córdoba no concurso dos Pátios Andaluzes; em Sevilha , no Dia de Reis. Festas muito animadas e interessantes.
Em Sevilha
Da minha Madrid, não posso deixar de referir dois eventos deste ano: A Feira do Livro de 2017, que teve Portugal como o país convidado e como tema Caminhos da Literatura Portuguesa.. Intensa programação envolvendo escritores portugueses,  em debates, seminários e palestras. Muitos stands com publicações recentes e com livros clássicos portugueses. Até encontrei um livro de Fernando Pessoa que eu não conhecia.
Feira do Livro em Madrid
O segundo evento foi realizado de 20 de junho a 24 de setembro, no Museu Thyssen-Bornemisza, e enfocava o Renascimento em Veneza. Pedro e eu vimos belos trabalhos de Tiziano Vecelho, Paolo Veronês e Jacopo Tintoretto.
Bela Madrid!
Encerro, assim, os relatos de viagem de 2017. Continuo a estudar e a elaborar o planejamento de 2018/1o. semestre. Sou muito grata às pessoas que me incentivam a manter o Correndomundo, um blog pessoal, sem parcerias, que tem dois objetivos:  registro de memórias para meus netos  e incentivo para  o surgimento de novos viajantes. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *