Malcesine, realmente uma das dez mais…

      Nenhum comentário em Malcesine, realmente uma das dez mais…
Centro de Malcesine
Há um tempo, numa dessas listas de dez mais, encontrei Malcesine – 3500 habitantes – como uma das dez cidades pequenas mais bonitas da Itália. Eu mal a conhecia, apenas passara de carro por ela uma vez em que contornei todo o Lago di Garda. Passei a querer visitá-la. Fui. Valeu cada minuto em que lá estive. É encantadora mesmo.
Chegada em Malcesine

Malcesine,distante a 150 km de Milano,  é o município da região do Veneto, mais ao norte de Verona. Pelos achados pré-históricos , sabe-se que foi habitada desde a antiguidade – nos restos de um acampamento romano, encontrou-se uma epigrafe que recorda a construção de um templo dedicado a Iris.No século XII, recebeu o estatuto de cidade.

Ancoradouro da cidade

É fantástico ir de carro por estradas sinuosas que margeiam o Lago e passam por galerias e túneis. Há bons restaurantes e hoteis pelo caminho. Há plantações de oliveira por toda parte e produtos regionais à disposição de curiosos e compradores…de azeite de oliva a licor de limão; de queijos a doces de frutas. E os cenários são realmente lindos.

Ruazinhas típicas de Malcesine

Desta vez, fomos, entretanto, de Sirmione a Malcesine, no barco que circula regularmente pelo Lago. São mais ou menos duas horas de viagem. Ao aproximar-se de Malcesine, o Lago se estreita, e as montanhas agigantam-se.   Um espetáculo daqueles de   “atirar beijinhos” à Natureza. Essa paisagem indescritível vai até Riva del Garda, passando por Limone Sul Garda.
Ruazinha no Centro Histórico
Bem se diz que tamanho não é documento! No final do século XIX, ocorreu uma grande transformação em Malcesine. O rio Aril passou a ser explorado para a obtenção de energia hidroelétrica. O curioso é que o Aril é considerado o rio menos extenso do mundo, pois mede apenas 170 metros de comprimento. A partir da Segunda Guerra Mundial, entretanto, o turismo passou a ser a base da economia do município – e outras transformações sucederam-se.
.
Escultura na praça principal
Todas as vezes que vi essa escultura, lembrei-me do que escreveu o meu querido amigo-irmão, Oscar Brisolara: 
“Mas as felicidades não se repetem. Surpreendem-nos, devagarinho. Mesmo que fosse possível reconstruir uma época, nós não seríamos os mesmos para revivê-la. A cada vez que somos tocados por um sentimento, reinventamos nossa maneira de sentir. A cada vez que nosso coração ama, reinventamos nossa forma de querer. A cada vez que nossos olhos veem, reinventamos nosso jeito de enxergar…
Detalhe do Castelo Scaligero
Parece que o castelo de Malcesine
foi construído pelos lombardos, no meio do primeiro milênio dC. É bem
bonito. Há partes dele que parecem nascer da rocha pela semelhança de
cor e material. Sua primeira função foi defender o primitivo porto de
Malcesine. Foi destruído em  590 e reconstruído em 806. De 1277 a 1387,
esteve sobre o domínio de Alberto della Scala – desse período,
resultou-lhe o nome atual Castelo Scaligero.
Torre principal do Castelo
Os Visconti de Milano ocuparam o castelo de 1387 a 1403. A República de
Veneza incorporou – o em 1405. Foram os venezianos e os austríacos que o
adaptaram às exigências bélicas. Possuía uma grande porta que estava
ligada a uma ponte elevadiça, especial para surpreender o inimigo. Hoje
abriga algumas salas de exposição com material sobre a flora,a fauna e a geologia da região. Abriga também assustadoras histórias de fantasmas.Em 22 de agosto de 1902, foi declarado Monumento Nacional.
Subida para o Monte Baldo
O Monte Baldo é majestoso, bonito de
ver, com mais de 2 mil metros de altura e com muitas atrações para todas
as idades – no verão, para caminhadas principalmente; no inverno, para os esquiadores.  A subida até ele é feita por um teleférico, que faz paradas
em duas estações: a primeira vai de Malcesine a San Michele, a quase 470
metros de altitude e tem uma extensão de 1512 metros de comprimento…
Foto de material publicitário : desconheço a autoria
A segunda vai de San Michele ao Monte Baldo e tem 1190 metros de
altitude e 2813 metros de comprimento. Já escrevi, aqui no correndomundo,
sobre
meu ódio aos teleféricos. Algumas vezes, em situações extremas de
curiosidade, posso até encará-los – mas evito, por pura covardia. Minha
amiga fez o passeio completo ao Monte – eu
fiquei traçando as ruazinhas históricas da cidade, vendo o castelo e a
igreja principal e curtindo meu arrependimento por não ter ido.
Porta Oriental
Construída em 899 , a Porta Oriental servia para reforçar a muralha que cercava a cidade. Hoje um dos lugares mais fotografados nesta pequena cidade onde se encontram muitos hoteis de diferentes categorias, cafés, restaurantes, sorveterias e lojas bastante diversificadas. Programas para todas as idades também estão disponíveis: trilhas, paragliding, passeios em ferry, excursões de barco, visitas ao castelo, museus e igrejas belíssimas.
Igrejas bem cuidadas e recuperadas
É um encanto passear por Malcesine, um labirinto de ruazinhas estreitas e
históricas, ornamentadas com flores, árvores e arbustos bem cuidados.
No mês de abril, quando parece haver uma mescla de estações do ano,
tem-se a primavera predominando na cidade – e as montanhas ainda com
neve. Cenário inesquecível. Turismo para a família inteira. Vontade  de permanecer ali.
Centro de Malcesine
” Como o olhar , a razão
Deus me deu, para ver
Para além da visão –
Olhar de conhecer.”
Fernando Pessoa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *