Comidinhas chinesas I

      2 comentários em Comidinhas chinesas I
Bebida com serpente!

Meu primeiro contato com as “comidinhas” chinesas foi no café da manhã , no hotel, em Beijing. Sem exagero, uma dúzia ou mais de panelas faziam parte do buffet. Não era comidinha , era comilança! Lembrei -me do Gugu, com quatro anos, respondendo à pergunta por que não almoçara: “É muito boa a comidinha da mamãezinha. Só não comi porque não gosto!”Havia uma variedade de sopas tradicionais chinesas. Muito boas. Só não comi porque não gosto!Havia também uma grande panela de arroz – aquele arroz que a gente frita ovos, na manteiga, até que a gema fique bem cozida. Depois, esmaga-o com um garfo e agrega ao arroz que já deve estar quase pronto. Acrescenta – ou não- cebolinha verde bem picada. Esse, eu encarei.

Pés de Galinha em abundância

Espagueti também não faltava – com molho de soja, é claro. Muitos e diferentes vegetais cozidos – minha salvação! Excelente a acelga ( talvez aquela que nós chamamos de couve chinesa), cozidas, com as folhas inteiras e os longos talos). Pães tradicionais, rolinhos primavera e tudo o mais que se pode esperar de um supercafé internacional, estavam lá.Para o almoço, levavam-nos a restaurantes com buffet. Ali havia comidas chinesas e também ocidentais. Nenhum problema. Também o jantar era tranquilo porque feito nos restaurantes internacionais dos hotéis. Como sobremesa, muitas frutas – já escrevi que são deliciosas e variadas.

Pato Laqueado

O famoso “Pato Laqueado de Pequim” eu o experimentei, pela primeira vez, num jantar. Vinha num prato bonito, com formato de pato! É fantástico, saboroso e perfumado porque cozido no fogo com lenhas especiais.Muito trabalhoso de ser feito e , por isso mesmo, muito caro. Convidaram-me para comer uma serpente. Serpente de verdade…metaforicamente , já comi algumas! Escolhe-se a serpente viva. Depois, ela tem a cabeça cortada. Num cálice chiquésimo, onde tem álcool de arroz, o sangue dela é escorrido. A pedido, pode ser aberta e ter a vesícula biliar arrancada, e o sumo, adicionado ao cálice. Fica forte e supergostoso. Misturam-se bem esses ingrediantes, que é bebido ruidosamente pelo grupo – sim! grupo, porque serpente custa caro, dizia-me uma menina, e os jovens chineses costumam ir com amigos para comer essa delícia, que só é pesada depois de morta e , então, tem seu preço calculado. 

Saborosa mistura de grãos

                                                                                                       
Ofereceram-me também um licor de serpente – afrodisíaco dizem- onde a própria estava imersa! Minha curiosidade não chega a tanto. Declinei!

PS. No próximo texto, escreverei sobre as diferenças, na cultura alimentar, conforme a região e sobre a minha experiência, participando de um autêntico banquete chinês.
Adianto , apenas, que se costuma dizer que os cantoneses ” de tudo o que tem quatro pernas, eles só não comem mesa e cadeira.”

2 thoughts on “Comidinhas chinesas I

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *